sexta-feira, 30 de junho de 2017

Segredo.30.17


17 comentários:

  1. Os filhos servem sempre como pretexto ou desculpas para tudo...
    Não é privilégio nenhum alguém viver infeliz.

    ResponderEliminar
  2. Não discutem é na frente dele nem façam cenas. Boa sorte :)

    ResponderEliminar
  3. Se separar não perde esse privilégio sabia...???

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se for um recém-nascido um dos progenitores vai perder (para bem da criança). Podem dar-se bem ao ponto de estarem muitas horas por dia com o filho mas não pode sempre e neste caso os pais (sexo masculino perdem sempre).
      Além disso, enquanto amamenta o bebé não pode ir pernoitar a casa dos pais (e alguns mamam até aos 2/3 anos), além disso, salvo erro a maioria dos tribunais nem sequer dá a guarda partilhada com dormida em casa do pai até aos 2/3 anos salvo em situações onde a mãe é mesmo negligente ou abusiva.

      É triste mas a lei está mesmo contra os pais. E se estiverem com mães que tenham bom senso e dêem flexibilidade para os pais estarem na vida dos filhos é uma coisa mas muitas não têm.
      Por outro lado, também não há situações fáceis uma vez que a estrutura também é muito importante para o crescimento saudável das crianças, principalmente até aos 3 anos. Por outro lado, os próprios tribunais mesmo depois dessa idade dão um fim-de-semana alternado, uns dias nas férias e a visita a um dia da semana...isso não é nada. Os próprios tribunais estão a compactuar com a alienação parental, por outro lado, mais contacto onde os progenitores estão juntos muitas vezes é o pior para a criança pois ambos dão-se tão mal que só prejudicam a criança.

      Não gabo a situação deste pai. Nunca estive nela mas também não gostaria de viver a vida com uma pessoa que não amasse. Até porque o ideal para os miúdos é ter os pais felizes também. Se viverem juntos mas numa casa de "loucos" não é nada fácil e não é melhor para ninguém.

      Eliminar
    2. Você não sabe o que é ser pai por inteiro, todos os dias, todos os minutos....

      Eliminar
    3. Nos primeiros 2/3 anos. Depois os dois têm o mesmo direito.
      Se acham que ficar com alguém por causa duma criança é bom para esta perguntem às crianças que viveram com os pais a discutir sempre, sem carinho nem amor nem felicidade nestes, ou em ambiente violento..... e esse o exemplo que querem dar às crianças? Não me digam que isso é saudável

      Eliminar
    4. Se ele não estiver a amamentar podem fazer guarda partilhada, 1 semana na casa de cada um (ou o que lhes for mais favorável desde que por tempo igual com cada um), assim nenhum tem de pagar pensão de alimentos, as despesas de saúde e educação são a meias e o filho tem o mesmo tempo com cada um. Se houver bom senso tudo se faz.

      Eliminar
    5. Duvido que um juiz tome uma decisão dessas com um bebé com menos de 3 anos. E quem percebe de desenvolvimento infantil nunca faria essa guarda partilhada de 1 semana em casa de cada um antes das crianças terem mais de 6/7 anos.
      Tem a ver com a capacidade de estruturação das crianças e sabe-se que as crianças até aos 4/5 anos que tiveram essa instabilidade estão mais propensos a ter perturbações da personalidade (das mais graves), terem mais comportamentos de oposição e no geral têm mais problemas a todos os níveis na vida.

      Eu não acho que ficarem juntos por causa da criança seja bom mas também não vejo grandes possibilidades para dar estabilidade a uma criança pequena. Apesar de teoricamente a semana em casa de cada um seja o mais justo para os pais, pelo que se tem vindo a descobrir é catastrófico para o desenvolvimento das crianças. E algum pai/mãe quer arriscar o bem-estar dos filhos?

      Eliminar
    6. Anónimo1 de julho de 2017 às 12:33

      Eu conheço um pai de uma miuda de 8 anos que anda em tribunal há anos para ter guarda partilhada e só lhe dão fim de semana alternado e um dia da semana. Ele tem melhores condições para dar uma vida melhor à filha e mesmo assim não dão guarda partilhada. Isso depende mais do casal do que de outra coisa.

      Eliminar
    7. Anónimo3 de julho de 2017 às 11:24 - Pode pfv fundamentar a sua opinião? Como é que tirou essas conclusões? Tem casos conhecidos? Estudos realizados? Também não é justo para a criança passar o mesmo tempo com ambos? Não é importante ter a influência tanto do pai como da mãe no seu crescimento?

      Eliminar
    8. Oa pais não tem direitos quem tem direitos são as crianças de estar com o pai e com a mãe e nunca na vida é saudável para uma criança andar de casa em casa. As crianças precisam de estabilidade, de rotinas, de saber com quem estão e onde não é um dia está com o pai e outro com a mãealém de que depois de certa idade as crianças são ouvidas e depende também da vontade delas quando estão com o pai ou mãe. Em primeiro lugar está a criança e não os pais da criança.

      Eliminar
    9. "nunca"
      Adoro quando as pessoas têm uma verdade para si mesmas e julgam que toda a gente tem de a seguir, porque essa é a verdade absoluta e quem pensar o contrário está errado.

      Eliminar
  4. Consigo compreender o seu lado, apesar de continuar a ser pai perde o dia a dia da vida do seu filho,aquele dia a dia que se tem quando se vive junto. Contudo, quando não se é feliz não sei não...

    ResponderEliminar
  5. Ui isso vai correr mal...

    ResponderEliminar
  6. Quem não fica por boas razões, não fica por muito tempo.

    NM

    ResponderEliminar
  7. o seu mal é o mal de muitos. eu mesmo ás vezes penso assim. mas ser pai é isso mesmo, sacrifício. e com o tempo, as coisas podem mudar.

    ResponderEliminar