segunda-feira, 17 de julho de 2017

Segredo.17.15


59 comentários:

  1. Traída e desapontada por não participar da "moda"? Achas que faz sentido?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Moda?? É um direito consagrado na lei, já há uns anitos! À excepção de casos em que não seja de todo aconselhada a permanência do acompanhante, a mulher pode levar uma pessoa escolhida por ela para a acompanhar durante o parto e o pós-parto, seja ou não o pai da criança.
      E não é preciso estar a ver tudo o que se passa lá em baixo, basta estar ao lado da mulher a apoiá-la, que no caso do pai, é o minimo que pode fazer, já que não é ele que tem de parir!

      Eliminar
    2. Moda? Mas que raio...
      Quer dizer, para o fazer tudo bem, para apoiar a esposa na hora de o ter, mesmo ele não tendo qualquer tipo de dor ou o que seja, já não?

      E depois é tido como moda, que ridiculo.

      Eliminar
    3. Anónimo (16:23 e 20:12),

      E se o marido for uma pessoa que impressiona-se com determinado tipo de coisas e não se sente confortável para presenciar aquela situação, será que existe alguma lei que consagra o seu direito de ser assim? Tomei conhecimento de casos de homens que nunca mais conseguiram ter relações sexuais com a mulher depois de assistir ao nascimento do filho. Tem outros que desmaiaram na sala de parto e depois os médicos tiveram que assisti-lo a ele também. Se a pessoa não se sentir confortável porque se tenta pressioná-la?
      Talvez não seja moda exigir a presença dos maridos no momento do parto mas tornou-se claramente uma moda arranjar todo o tipo de desculpas para acabar com um casamento. A autora do segredo sente-se traída e desapontada? Vamos, divórcio já! está na moda...

      Eliminar
    4. Como foi dito, é um direito: que os homens também podem recusar exercer. A grávida também tem o direito de escolher a pessoa de referência para estar presente, independentemente de quem seja. Porque temos de julgar um homem por não querer estar presente no momento do Nascimento do filho? Muitas vezes a presença nem é benéfica, torna-se em mais um foco de ansiedade. E nestes casos, em Que os homens o sentem como uma "obrigação", qual o sentido para a família? Qual o benefício para o casal, para o bebé ou para a mulher, que sabe que o futuro pai está ali só porque sim?? Estas decisões deveriam ser negociadas como parte do projecto de cada família. Com respeito pelas decisões individuais e partilhadas. Não é por não assistir ao parto que vai deixar de ser um melhor pai, na minha opinião! Se respeitamos a decisão da mulher sobre a escolha de quem estará presente no momento do parto, porque não respeitamos o direito do pai em decidir não estar, já que pode ser excluído completamente desse processo pela mulher?
      Susana

      Eliminar
    5. Sim, moda. Comportamento humano associado a uma determinada ocasião ou dada época histórica.
      Que eu me recorde, em 1960 (por exemplo) não existia este frenesim social para o progenitor assistir ao nascimento.

      Eliminar
    6. Sou o anónimo 20.12
      Eu compreendo que existam pessoas sensíveis, no entanto, acho que pode haver soluções... Não é preciso ver a "ação", basta estar ao lado da mulher, dar-lhe apoio.

      Ou isso não vale o esforço? =/ eu por exemplo, não imagino ninguém para me ajudar a não ser o meu namorado, se ele não quisesse, teria de estar sozinha junto de um monte de gente que me é desconhecida? Quem protege a mulher numa situação tão vulnerável? Sim, porque abusos não são raros de acontecer.

      Eliminar
    7. Em 1960 os pais eram, por norma, muito menos envolvidos no cuidado das crianças. Serviam para disciplinar, o cuidado diário recaía sobre as mulheres. Eu não teria filhos sob essas circunstâncias, e a presença do homem no parto é só uma de muitas coisas que felizmente mudaram na forma de abordar a parentalidade. Não é moda, é evolução.

      Eliminar
    8. Claro que não é moda. Em 1960 ainda morriam muitos bebés de morte súbita pois não se punha os bebés a dormir de barriga para cima. Agora põe-se e a percentagem de mortes súbitas descem drasticamente. Vai agora dizer que pôr os bebés a dormir nesta posição também é moda porque em 1960 não se fazia...?

      Eliminar
    9. Evolução seria o homem ter opção sem ninguém ficar ofendido nem melindrado e não passarmos do não assistir para o ter de assistir. Logo, é moda! E já agora: situação tão vulnerável... a sério?! Lol

      Eliminar
    10. Portanto, se algo não acontecia antes e agora acontece (ou vice versa), são modas, e portanto são estupidas...
      Que ridiculo.

      Não é frenesim nenhum, só leu um segredo acerca disto, cresça lá um bocadinho.

      Eliminar
    11. Sim, ha pessoas que, independentemente de não assistirem à acção propriamente dita, toda aquela envolvência hospitalar (os partos são cada vez mais medicalizados), os odores e etc, são suficientes para que não consigam imaginar-se ou posicionar -se numa situação de parto. Qual o apoio que o homem ia dar nestes casos??? Nenhum, antes pelo contrário. Não acho correcto julgar-se alguém porque recusa assistir ao parto. Independentemente das razões. É um direito do homem, não um dever, ou uma imposição.
      Susana

      Eliminar
    12. Anónimo das 11:22, a questão é que grande parte das mulheres também teme o parto, não nascemos com espírito de parideiras. Mas, caso queiramos ter filhos biológicos, temos que lá estar. Eu não imagino estar numa relação em que o meu companheiro não me acompanharia num momento destes. Ele é a única pessoa que quereria ao meu lado naquele momento, e seria uma experiência traumática se tivesse que passar por isso (a dor, o medo, etc.) sozinha. Não podemos obrigar ninguém a nada, pelo contrário: eu nem sequer ponderaria ter filhos com um homem que não quisesse estar presente neste momento que deve ser de ambos.

      Eliminar
  2. Nojento não diria. É super natural. Mas que pode ser muito forte para determinadas pessoas sim.
    E isso tu deverias perceber também.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também é demasiado forte para a mulher, mas ela tem que lá estar. Não compreendo um homem que se negue a estar presente nesse momento.

      Eliminar
    2. Anónimo da 21:34

      Mas exactamente por a mulher ter de lá estar obrigatoriamente é que cabe a esta decidir se quer passar por isso ou não. Eu sempre quis ter filhos mas sempre tive um medo enorme do parto. Medo esse tão grande que ponderei mesmo simplesmente não ser mãe. Ou seja, a mulher tem de lá estar, sim, mas porque ela própria decidiu passar por isso. Eu acho que um homem pode ser um companheiro perfeito durante 9 meses e não ser capaz de o ser na altura do parto. Grande ajuda será se desmaiar por exemplo....

      Eliminar
    3. Sim sim, eu compreendo, mas lá está, ela tem de passar por isso porque não há maneira de evitar. Para ele há.
      Eu amado acho que o melhor era ele ir, mas será que não seria algo que o fosse fazer desmaiar sei lá?

      Eliminar
    4. Se um casal está numa relação, então decidiram os dois passar por isso. Para mim ter filhos só faz sentido enquanto projeto a dois, e um homem que queira embarcar comigo nessa aventura sabe que é para andarmos de mãos dadas ao longo do caminho. Nunca teria filhos com um homem que fosse capaz de me falhar nesse momento crucial.

      Eliminar
    5. Eu também não teria filhos se o meu marido não quisesse estar comigo no parto. Por isso é que acho que isso deve ser bem conversado antes e não quando já se está grávida.

      Eliminar
    6. Eu jamais teria filhos com uma mulher que resume Paternidade ao momento do parto. Aliás, nem está preparada para ser mãe :)

      Eliminar
    7. Não há maneira de evitar?! Claro que há: decida não os ter e adopte se quiser. Quem é que obriga uma mulher a ter filhos? Ninguém! Porque é que eles hão-de ser obrigados a assistir ao parto? Não são.

      Eliminar
    8. Não são obrigados, simplesmente um homem que não o quisesse não seria escolhido por mim para ser o pai dos meus filhos.

      Eliminar
    9. Anónimo das 09:32, e um homem com nojinho do parto, está preparado para ser pai?

      Eliminar
  3. Eu sou mulher e não sei se quero que o meu assista ao parto. É demasiado...

    ResponderEliminar
  4. Eu sou mulher e também acho nojento:/

    ResponderEliminar
  5. Eu não assistia simplesmente para não ver a mulher a sofrer.

    ResponderEliminar
  6. O nascimento de um filho é um momento único, que não deve ser negado a ninguém, que o queira viver. Mas conheço mães que não quiseram os pais a assistir, e conheço pais que não quiseram assistir, e compreendo muito bem, são opções que devem ser respeitadas. Acho que o seu marido não se soube explicar, para a falta de coragem em assistir ao parto.

    NM

    ResponderEliminar
  7. A palavra "nojento" é de facto forte e talvez ele devesse ter tido mais cuidado com o que diz uma vez que você vai passar pelo parto para ter um filho vosso.
    Mas a questão de não querer estar presente acontece muito. Nem todos os homens se vêem nesse papel, não querem, não aguentam...Para quê obrigá-lo a estar lá se ele não quer, se provavelmente não a vai conseguir apoiar e poderá até estragar mais do que ajuda?
    É normal que tivesse as suas expectativas de o ter lá e por isso também é normal que se sinta desapontada. Mas traída? Também acho que está a levar demasiado a peito ele não lhe fazer a vontade....

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não sei até que ponto será correcto dizer que se sente traida ou não, mas de certo modo entendo.
      Ele só fez o filho; ela teve de passar pela gravidez, pelas dores, pelas mudanças corporais, vai ter de passar pelo parto. E o senhor não consegue ou não quer ajudar a mulher nem que seja ao dar-lhe companhia e apoio.

      Eliminar
    2. Mas há homens que efectivamente não conseguem apoiar. Se ele se puser com "ai que nojo", "que horror", "que impressão, " vou desmaiar", que ajuda e apoio é que dá? Se entrar em pânico e entrar em histeria, que apoio é que dá?
      Eu não estou a defender que o homem não deve ir. Defendo apenas que ele tem a opção de dizer que não quer. E se a mulher fizer mesmo questão de ter o pai dos filhos presente no parto, então deve pensar bem se quer engravidar daquele homem que se calhar não vai lá estar.
      Por outro lado, muitos homens acham que vão estar a ver a zona da expulsão. Uma boa conversa pode desmistificar isto, dizer-lhes que vão ficar à cabeceira, que nada verão...
      A verdade é que também há mulheres que não querem passar por um parto e escolhem cesarianas programadas. E se elas podem escolher não passar por um parto porque têm nojo/medo/etc, eles não podem escolher não estar presentes porque têm nojo/medo?

      Eliminar
  8. O meu também não queria e na ultima da hora decidiu que ia assistir e hoje diz ter sido a melhor experiência da vida dele, ver o filho nascer.
    Quase que desmaiava quando viu a tesoura, mas aguentou-se bem.

    ResponderEliminar
  9. provavelmente tens mais / outras razões para te sentires desapontada...
    mas esta do parto é a que está mais à mão como "explicação"...
    (e normalmente pormenores como o da "assistência" são conversados antes...)

    ResponderEliminar
  10. Na minha humilde opinião, se ele não quer ir é melhor que ele não vá. Pode ser sensível, a imagem de uma mulher a parir não é de todo a coisa mais bonita deste mundo. Acho que devemos ser realistas. É bonito a criança vir ao mundo, agora todo o processo para o trazer cá para fora de bonito não tem nada. Eu que sou mulher com curso superior em Anatomia Patologica, digo-te que realmente de bonito e maravilhoso não tem nada. E para alem disso existe inúmeras teorias de que o Homem pode ficar traumatizado quando assiste ao parto e não queira voltar a ter relações sexuais com a mulher.
    Se precisas de ter alguém contigo escolhe alguém que te consiga apoiar e que não seja sensível à imagem de uma mulher a parir, acho melhor. e não fiques desapontada não temos todos a mesma coragem.
    Que tudo corra pela melhor
    AR

    ResponderEliminar
  11. Podemos ficar tristes no início, mas insistir para quê? Se ele não se sente confortável.. Não insista. Para depois ficar traumatizado não vale a pena.
    O meu não assistiu a nenhum e a nossa relação não sofreu nada com isso. Aceite, seja forte pelos dois e respeite..

    ResponderEliminar
  12. Traida ?Agora vai obrigar o marido a assistir ?
    Acho a expressao nogento um exagero, mas tambem acho a expressao traida um exagero.

    Eu sou mulher, adoro crianças e nao tenho vontade nenhuma de assistir a partos, estarei no meu porque sou obrigada, como é obvio.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E que tal pensar do ponto de vista de uma mulher que quer ter o parceiro dela ao se lado, para a apoiar, dar amor e carinho?
      Que tal passar a olhar para o parto como algo natural, que possui muito de psicológico para a mulher... E não só físico,corporal...

      Eliminar
    2. A mulher quer la saber disso quando as dores apertam, mulher!!! Só quer é que aquilo termine e no fim só quer é descansar!

      Eliminar
    3. Ainda bem que o anónimo das 12:44 fala por todas as mulheres.

      Eliminar
    4. Ahm ahm claro. Isso é você que vê o parto dessa maneira. Há mulheres que ficam em trabalho de parto durante horas, e muitas sentem-se confortadas por terem alguém do seu lado (veja lá que até é um direito).

      Eliminar
    5. Tendo um bebe com 15 dias, saber que o pai estava comigo, que sabia o que eu nao queria que fizessem, alguem para apoiar, alguem que me fez pressao nas costas sempre que eu tinha contracçoes, etc etc etc nao tem preço.

      Pessoalmente nao aconselho mulher nenhuma a estar no parto sozinha. Seja o pai da criança, uma amiga, familiar, etc...é uma situaçao onde estamos demasiado vulneráveis.

      Eliminar
  13. É legítimo que te sintas assim e, sobretudo, se estás grávida, é possível que leves isso mais a peito e encares isso de outra forma. Tenta encarar isso de forma mais leve e do ponto de vista dele. É a vontade dele, só isso. Da mesma forma que algumas formas não querem que os maridos assistam. Não estão a traí-los. Estão a fazer o que as deixa mais confortáveis. Ele não gosta menos de ti ou do vosso filho se não estiver lá. Falem, falem muito, e tenta perceber os motivos dele. Pode ser que juntos cheguem a uma solução mais aceitável para os dois.

    ResponderEliminar
  14. Leitura interessante sobre parto: http://www.eumae.pt/pt/post/mae/coco.parto

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Uma questão: o que é que o facto de poderem haver fezes durante o parto, tem a ver com a participação do homem do parto?
      Está a tentar usar isso para tentar demover a ideia da autora? Do facto do marido dela pode ver fezes? Ou foi só mesmo uma curiosidade, nada a ver com o tema?

      Sinceramente, as pessoas estão À espera do quê? A mulher faz força e vÊ-se uma luz fortissima a sair da vagina dela, toda gente fecha os olhos e PLIM, está lá um bebé todo limpinho, reluzente, a sorrir?

      Este tipo de coisas não deve ser visto como motivos para o homem não assistir ao parto. Como será se o parceiro estiver doente, tiver de ficar acamado, enfim, se acontecer algo e o outro tiver de ajuda-lo nessas horas mais "chatas"?
      BTW o bebé também fará cocó, e por norma com muito pior aspecto e cheiro do que os dos adultos xD

      Eliminar
  15. Eu nao quero que o meu marido assista ao parto.
    Quero a minha irma, SE, e só SE, ela o desejar.
    Estou a trai-lo? isso quer dizer que nao o amo?

    Que disparate , agora teria que o fazer se nao era uma traiçao.

    ResponderEliminar
  16. Se o teu marido não quer, não insistas. Queria muito que o meu assistisse ao parto do nosso filho mas ele pediu-me para compreender que não o queria fazer. Aceitei. E foi o melhor que fiz. Nem toda a gente lida da mesma forma com a dor dos outros. É um momento que tem uma beleza única mas também é muito violento. Muito mesmo. Ainda hoje me arrepio quando me lembro das dores, dos gritos, das contrações, dos toques... Não é uma visão fácil para todos. Passei mal. Dizia coisas sem sentido. Só foi tudo superado, quando o meu filho foi colocado no meu colo.

    ResponderEliminar
  17. Conheço um casal cuja vida sexual nunca mais foi a mesma. Ele não conseguiu superar a visão da vulva no processo do parto. Ela insistiu para ele ver e arrependeu-se muito. Temos de aceitar que as pessoas não são iguai nem querem experienciar as mesmas coisas. É simplesmente uma questão de respeito por aquilo que sentem.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os homens nunca ficam à frente das mulheres esse sitio é para os profissionais de saúde que estão a fazer o parto, o homem fica ao lado da mulher (e em alguns hospitais atrás da mulher), não está tudo ali à mostra para toda a gente ver, isso é nos filmes...

      Eliminar
    2. Não, não é nos filmes! O meu ex-cunhado assistiu a tudo, cortou cordão umbilical e disse que nada nunca lhe meteu tanto nojo quanto a placenta a sair :/

      Eliminar
    3. Se for preciso vêem ou fazem coisas piores -_-

      Eliminar
  18. É suposto isso demover as mulheres de quererem a presença do companheiro na sala de partos? :P

    ResponderEliminar
  19. Que bando de flores de estufa que com a mais pequena brisa ressentem-se logo xD

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Flores de estufa são os homens com nojinho de estar presentes no parto.

      Eliminar
    2. As senhoras também têm tantos nojinhos e nós temos que vos respeitar;)

      Eliminar
    3. Eu sou mulher e jamais estaria dentro de uma sala de partos porque é nojento. E se tivesse de os ter não quereria ninguém por perto a chatear-me a cabeça.

      Eliminar
    4. Anónimo das 12:50, nojinhos num momento como este não são certamente comparáveis aos pequenos disparates em que estará a pensar.

      Eliminar
  20. Pois eu soi mulher e mãe e o meu marido não assistiu ao parto porque a médica como o conhecia achou melhor que ele não assisti-se.
    Ao meu lado esteve a minha melhor amiga.
    E por falar em nojo.... eu não quis ter o meu filho ao colo antes de ser lavado.
    Maneiras e modos de ver as coisas
    VB

    ResponderEliminar
  21. Falo do meu meu caso. O meu marido no 1º não assistiu porque nao chegou a tempo. No segundo sim esteve presente do inicio ao fim. Assumo, a mim pessoalmente não me fez falta a presença dele na segunda por mim sinceramente não sentia necessidade. Podem apedrejar, mas foi o que senti no momento. Ele claro que adorou assistir ao nascimento do filho. Em determinado momento já depois da expulsão viu a "passarinha toda escancarada" Ainda hoje (e já passaram 15 anos) quando fala sobre o assunto pede desculpa pela comparação mas diz que só lhe lembrou um porco - porque foi o unico animal que alguma vez viu "desventrado". :) :) e rimo-nos muito pela comparação :) :) Ah, e essa visão não afectou em nada a nossa vida sexual!!! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ninguém tem que apedrejar, todas as mulheres são diferentes e umas são mais corajosas que outras, mesmo na hora do parto. Já eu, só de ir ao ginecologista as minhas pernas tremem tanto ao ponto de saírem dos apoios naquelas cadeiras diabólicas... é claro para mim que precisaria do apoio total do meu parceiro no parto.

      O que algumas pessoas criticam (eu incluída) são os homens que se recusam a apoiar a companheira quando esta necessita e pede esse apoio. Nove meses de gravidez, a ver o corpo mudar, as dores do parto, etc., estar presente é literalmente o mínimo que pode fazer. Infelizmente ainda há muitos homens que têm uma visão idealizada do corpo feminino, olham como algo que existe apenas para o seu prazer e ficam "traumatizados" quando confrontados com a realidade. Felizmente o seu marido não é desses :)

      Eliminar
    2. Sim totalmente de acordo com o seu comentário. obrigado por compreender o meu ponto de vista

      Eliminar