quarta-feira, 19 de julho de 2017

Segredo.19.15


16 comentários:

  1. Distantes e ocupadas para que TU possas ter do melhor de tudo.
    Tão fácil de criticar.... esquecem que os pais são SERES HUMANOS.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tu sabes lá se o autor/a tem em melhor! Aliás, mesmo que tivesse, já pensou que muitas crianças não dão importância a isso é preferiam ter os sair mais tempo em casa com eles?
      Não sejas ridículo, ninguém sabe a história daquela família.

      Eliminar
    2. Sempre esse o comentário, para terem tudo.
      Agora têm tudo o que se compra, menos o amor. Sei do que falo e os meus n estavam assim tão ocupados, mas focados em tudo menos do que realmente interessava, aquilo que é a base de tudo .

      Eliminar
    3. Pois, é verdade, os pais têm que ser sempre perfeitos. Vocês foram filhos perfeitos por acaso?
      Muitos pais deram horas e horas das vidas para que os senhores pudessem comer e estudar. Há várias formas de amar e acho que os pais que dão de tudo para que os filhos possam evoluir na vida é algo muito precioso! Tivessem os pais dado muito amor mas morressem vocês de fome ou não pudessem estudar também seriam uns insatisfeitos e até aposto que os pais se sentiriam mal de deixar os filhos em tal estado.

      Eliminar
  2. Falta de amor por serem ocupados? Haja paciência.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Distantes também. Esqueceu-se do distantes?

      Eliminar
  3. Talvez ocupados a pensar em te dar um futuro bastante melhor, que aquele que eles tiveram.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Talvez. Mas será que o amor cresce 'só' porque se esforçam para nos dar as coisas?
      Não é por serem país que as pessoas merecem amor.

      Eliminar
  4. Não escolhemos quem nos educa, mas como pais independentemente de querem dar o melhor para os filhos tem de existir amor para dar. E sim infelizmente existem pais que não deviam ter sido pais nunca. Nem todos temos excelentes pais.

    ResponderEliminar
  5. Se calhar, podem ter tido as razões deles para agir dessa forma. Já tentou analisar essas ditas razões? E que acções/esforço você aplicou ao longo da sua vida para contrariar tudo isso? Tentou aproximar-se e ligar-se a eles ou limitou-se a assistir no seu canto e deixou andar o barco? O Amor não é o caudal de água de um rio que corre sempre para o mesmo lado...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isso pode servir às pessoas já adultas. Mas crianças a quem nunca lhes foi ensinado o amor, o carinho, não o vão saber demonstrar. Criam também pessoas sem auto-estima, que duvidam do seu valor.
      E estas coisas continuam em adultos.

      Se o único erro foi estar distante, a culpa (mesmo que eles não fizessem por mal) foi dos país.

      Eliminar
    2. Exacto anónimo das 13:50, crianças a quem os pais nunca deram amor não vão ser adultos que vão amar, vão ter é um grande vazio na vida delas e sim a culpa é dos pais, pais que não amam os filhos acima de tudo e só são mais uma figuras nas suas vidas porque sim.

      Eliminar
    3. Anónimo (13:50),
      Creio que a autora do desabafo já deva ser adulta nesta altura e se a sua infância ficou manifestamente perdida, em termos de amor e sentimentos, talvez possa salvar algo nesta altura uma vez que também possui maturidade suficiente para perceber melhor as coisas. Não serve de nada contar as lágrimas perdidas e águas passadas não movem moinhos. A culpa pode ter sido dos pais no passado mas presentemente, se nada for feito para contrariar a ordem das coisas, já passa a ser dos dois..

      Eliminar
    4. O autor ou autora mesmo que entenda (ou tenha continuado a achar que não compensou) e mesmo que se tente aproximar, isso não significa que os vá amar.
      Uma conexão foi perdida (quer dizer, neste caso-acho que nunca existiu, pelo que li) e este tipo de coisas cria-se na infância. Até que ponto é que ela se sente uma conhecida na casa dos pais? Neste caso, qual seria a vontade de se relacionar com alguém que ela vê como 'conhecido'?

      Existe esta "obrigação" dos filhos gostarem dos país (e vice-versa) mas há muita coisa que pode fazer com que isso não aconteça. E isto é algo considerado tabu.

      Eliminar
    5. Anónimo(15:00),

      Sim, concordo, mesmo tendo idade para entender melhor isso não significa que os vá amar, mas também não significa que não o possa fazer. Podemos amar um estranho nas relações amorosas e não podemos aprender a amar quem já conhecemos? Uma conexão foi perdida mas outra pode ser restabelecida. Concordo que os laços de sangue não são de todo suficientes para justificar uma conexão afectiva com alguém, mas, por aquilo que me deu a perceber do desabafo, também não houve nenhuma experiência traumática para além da que foi criada pela distância/afastamento dos pais. Não estamos a falar de pessoas que magoaram os filhos ou abusaram deles, certo?. Se tivesse havido um abuso, seria natural um filho não conseguir perdoar os abusadores ou nutrir por eles qualquer sentimento de amor futuro, mas não, não houve nada disso. Logo, tratando-se apenas de um afastamento (que nem sequer foi explicado), se houver interesse de parte à parte há uma possibilidade real de criarem essa conexão daqui para a frente. Há uma ponte que os liga e é só uma questão de vontade. Ou da ausência dela, agora falta saber...

      Eliminar
  6. As crianças precisam de amor. Ponto. E isto parte sempre dos pais. Não é um rio que corre para os dois lados. As pessoas primeiro precisam de aprender o que é o amor!

    Lamento que os seus pais não lhe tenham dado aquilo que é a base de qualquer família.

    ResponderEliminar