quinta-feira, 10 de agosto de 2017

Segredo.10.10


Faço de conta que não sei quem é a pessoa com quem tem sexo (nem lhe digo que é muito pouco recomendável e má influência, por coisas que tenho sabido e outras por me aperceber), pois não quero que pense que tenho ciúmes. E no fundo até me "diverte" vê-lo a achar que engatou a última bolacha do pacote.

22 comentários:

  1. Normalmente e assim, os homens sao muito basicos.

    ResponderEliminar
  2. Compreendo. Mas o que pensa que ainda existe desta sua relação? Mesmo que ele viva iludido por achar que engatou a última "bolacha do pacote", a verdade, porém, é que ele é o único dos dois que sai divertido desta situação...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Qual relação...? A autora não falou de relação absolutamente nenhuma....

      Eliminar
    2. Anónimo (18:05),

      Nem precisa de dizer. A partir do momento em que ela fala de alguém e que esse alguém participa de alguma forma na sua vida, os dois passam a partilhar um tipo de relação. De amizade, amorosa, conhecimento, conveniência, social, comercial, interpessoal, ecológica, humana, laboral ou familiar, isso pouco importa. Tudo isso são relações.

      Que mania...

      Eliminar
    3. É só um amigo. Esteve interessado em mim mas eu sempre o vi como apenas um amigo, até porque estou numa relação.
      Foi ele que me contou o que estava a fazer, porque é um bocado gabarolas. Perguntou se tinha ficado com ciúmes ou desiludida. Respondi que não (a vida era dele).
      A questão é que eu sei quem ela é, e de que tipo é. Por conversas que ouvi e por coisas que ele próprio me contou (e as quais não consegue discernir porque...quem está a comandar é a cabeça de baixo).
      Se, como amiga, tentei abrir-lhe os olhos? Sim, claro! Resultado: "Tu por acaso estás com ciúmes? A sério que não?"
      Acabei por desistir de lhe dizer seja o que for, e ignorar quando se vem gabar acerca do que tem feito.
      Se tenho ciúmes? Não! Tenho é pena de ver alguém de quem gosto a ser tão enganado e manipulado (até a nível profissional está a ser prejudicado).

      Eliminar
    4. Autora do segredo,

      Numa primeira analise, e atendendo ao facto do seu "amigo" questionar-lhe demasiadas vezes se sente ciúmes, é fácil deduzir que ele continua nitidamente interessado em si e quer tentar identificar uma reacção da sua parte para ter a certeza de que pode avançar. Se calhar a relação que ele criou com essa mulher teve apenas o propósito de criar-lhe ciúmes, e, se calhar, ele pode nem sequer ter nenhum relacionamento sexual com ela, já que pode ser apenas fachada. Quando ele lhe questionou:"Tu por acaso estás com ciúmes? A sério que não?", acabou por revelar imediatamente que ele julga ver em si um sentimento que ultrapassa a amizade e tencionou fazê-la questionar aquilo que realmente sente em relação a ele. Do seu lado, por sua vez, poderá ser apenas ciumeira de amigo mas é notório que você parece bastante incomodada com esta situação. Pode ser apenas birrinha de mulher. Daquele tipo de birrinhas que levam algumas mulheres a detestarem-se umas às outras (a namorada do seu amigo neste caso), mas também pode estar em negação. Já pensou que talvez esteja mesmo a sentir ciúmes, por estar apaixonada pelo seu amigo, e não queira aceitar esse facto? É porque, onde há ciúmes também há amor. E são raras as amizades entre homem e mulher sem que tenha havido, por mais pequeno que seja, algum interesse físico/sexual responsável pela aproximação.

      Eliminar
  3. 1- não não diverte. Pelo contrário incomoda, incomoda, senão não escrevia aqui esse desabafo.
    2 - se tem uma relação com essa pessoa e essa relação é aberta, em princípio guarda as suas opiniões para si sobre os parceiros de cada um desde que usem proteção.
    3 - se você está apaixonada/o e não quer dar a entender, guarde para si a paixão e o que sabe sobre com quem o alvo sua sua paixão tem sexo. Ou bem assume ou deixa em paz.
    4 - se está num relacionamento e a outra parte o/a trai e você nao quer que ache que está com ciumes eu acho que você não quer é que esse relacionamento acabe e sujeita-se a a ser tratado/a sem respeito. Pebse bem se quem isso.
    5- se é um amigo ou amiga sua e você tem informação relevante para essa pessoa partilhe. Na amizade não ha ciumes relacionados com a vida sexual de cada um.
    Se não e nada disto meta-se na sua vida ou fale directamente com quem de direito. Fingir que não está com a língua a arder para falar sobre isso é que não tem muito sentido. Pense bem, faça o bem e não prejudique os outros sem razão.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É que não percebi rigorosamente nada do seu comentário. :(

      Eliminar
    2. Não diga isso que o autor deve ter gasto bastante tempo nele.

      Eliminar
    3. Não é expressamente dito que é uma mulher a assinar o segredo mas partamos do princípio que sim.
      A autora não diz que tipo de relacionamento tem com o homem em questão e eu dei várias hipóteses para essa ligação, porque deve haver alguma, presente ou passada.
      Se é um relacionamento presente e a autora sabe que o parceiro anda a dormir com outra e não faz nada, não adianta nada vir aqui sugerir que tem informações sobre "a outra". Ou bem que toma uma ação, assumindo até legítimos ciúmes e honra ferida ou muda de parceiro.
      Se a autora se refere a alguém do passado, um ex namorado, por exemplo, e cada um seguiu com a sua vida, este segredo soa a vingançazinha solitária e silenciosa por estar em posse de informação que podia estragar o engate se este descobrisse que a tal mulher não é o que ele imagina. Pronto. Se for este o caso, espero que a autora siga a sua vidinha sem se meter na dos outros. Só faz sentido ela falar sobre a reputação de mulher X se for o seu namorado ou marido que ande lá a chafurdar e precise de um ponto final na situação. Ou um amigo ou irmão a quem se queira alertar sobre alguém pouco recomendável. Como este não parece o caso de amizade fraterna, imagino mais uma ex ressabiada ou uma mulher que se viu preterida em função de outra.

      Eliminar
    4. Olha, eu percebi.
      E concordo.

      Eliminar
  4. pois, claro que não são ciúmes...
    tu só querias ser a última bolacha

    ResponderEliminar
  5. um dia vai aprender que nem tudo o que se diz é verdade, sabe que as pessoas gostam muito de falar do que não conhecem e normalmente acrescentam vários ponto à historia por sua conta

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O homem que a autora descreve não falou de coisa nenhuma nem se habou de nada.... até porque a autora é suposto não saber nada... por isso.....

      Eliminar
  6. Que sentimento mesquinho! Quer provar a si mesmo que é melhor que ela?
    Ele seguiu a sua vida e tu?

    ResponderEliminar
  7. Pois. Tens ciúmes. Olha mais para a tua vida e deixa a dos outros

    ResponderEliminar
  8. Se essa situação te incomoda ao ponto de lhe dedicares tempo da tua vida, então certamente que terás ciúmes...

    ResponderEliminar
  9. As pessoas metem-se a imaginar com cada coisa sem saber todos os detalhes. Às xs mais vale estar caladinho e não dizer disparates, em vez de se Querer passar por espertinho.
    Li a explicação da autora algures lá para cima e digo,acho que fizeste bem em não dizer,há pessoas que não entendem um não e acham que tudo tem a ver com eles.
    Segue a tua vidinha que a vida irá encarregar-se dele.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo, no entanto acho muito difícil o ser humano ter noção do "disparate" que vai dizer...antes de ser corrigido por alguém. Não se trata de querer passar por "espertinho", é a natureza do homem que o faz sentir-se assim. Por mais burro que seja, todo o ser humano se acha mais inteligente que os outros à sua volta e que o mundo foi criado por causa dele...

      Eliminar
    2. É verdade Francisco.
      Só que ainda assim, mesmo quando são corrigidos, ainda acham mal terem sido corrigidos como se do hipótese alguma pudessem errar. Vêem a correção como uma provocação, sei lá.
      Só gente parva.

      Eliminar
    3. Anónimo (15:49),

      Quando corrigimos alguém, estamos a retirar/negar a razão dele, e, sem razão, é como se o sujeito ficasse nu já que ele não pode esconder-se por detrás de nada, o que é particularmente alarmante quando vivemos num mundo de imagens. Cada ser humano acha que todos os outros à sua volta possuem defeitos muito piores do que os dele, negando-lhes assim o direito de acharem que tem legitimidade para dar-lhe moral. Qualquer coisa do tipo: Mas quem é este individuo para se achar melhor do que eu?. Assim, nesse sentido, qualquer correcção que seja acaba por ser encarada como uma provocação. Não é parvoíce, é o nosso instinto. Em maior ou menor escala somos quase todos assim.

      Eliminar
  10. Bom, cada um é como é. Eu, se fosse comigo, dizia-lhe tudo o que sei sobre ela, sejam verdade ou não, e ele que entendesse o que quisesse. Plo menos não ficaria eu com o assunto entalado na garganta e a mente pesada.

    ResponderEliminar